Arquivo

Um dos principais festivais independentes do país acontece em terras paranaenses e já tem 15 anos de história. Com sua primeira edição realizada em agosto de 2001, o Demo Sul já envolveu quase 400 bandas e 500 mil pessoas. A programação, além da música, promove atividades de formação de público, produtores e disseminadores da cultura independente.

A semente para o festival foi plantada em 1996, por Marcelo Domingues, idealizador e organizador do evento. “Naquela época, começaram a surgir alguns festivais independentes no Brasil. Esses festivais estavam aparecendo na mídia e levando algumas bandas a terem visibilidade nacional”, explica Marcelo. Foi nesse contexto que surgiu a ideia de organizar um evento que pudesse mostrar a cena local para o resto do país. “Juntamos seis bandas de Londrina, todas de som autoral, e montamos o festival. Convidamos uma galera – tipo o Gastão (então na MTV) e o Miranda -, mas ninguém deu as caras, acredito que pelo amadorismo da coisa mesmo”.

Ainda assim, o festival – então chamado de Londrina Underground Scream – lotou e as seis bandas tocaram para uma casa cheia. “Foi aí que notei que existia um certo ‘buraco’. Tinha público pra ver banda autoral, tinha banda autoral rolando na cidade, mas não existia nenhum evento que proporcionasse essa interação”.

Nasce o Demo Sul

Foi só em 2001 que, incentivado por amigos, Marcelo resolveu montar o projeto de um evento para inscrever na lei de incentivo a cultura. Aprovada com um orçamento de 3 mil reais, a primeira edição de Demo Sul começou a tomar forma. “Desde o cara do som, até a galera que ajudou na organização, rolou muita coisa na camaradagem nessa primeira edição. Foi um projeto piloto, com pouca grana e em um formato totalmente diferente”.

Em 2002, o festival começou a se configurar melhor. O evento foi dividido em dois dias e o orçamento conquistado pela lei de incentivo quadruplicou. Ainda na segunda edição, o Demo Sul passou a produzir, anualmente, um CD promocional como forma de divulgar as bandas e o nome do festival. Foram lançadas seis Coletâneas Demo Sul – e todas estão disponíveis pra download no site do evento (demosul.blogspot.com.br). Daí pra frente foi só crescimento. Até que na quinta edição, em 2005, o festival teve seu primeiro headliner nacional – os gaúchos do Cachorro Grande. No mesmo ano, o line-up de peso ainda contou com a presença de Júpiter Maçã, Autoramas e Marcelo Nova. O Demo Sul foi um dos primeiros festivais afiliados à Abrafin (Associação Brasileira de Festivais Independentes). Nas maiores edições, chegou reunir mais de 30 bandas locais, nacionais e internacionais.

Muito mais do que shows

“Eu sempre falei que um festival tem que ser mais que alguns shows divididos em dois ou três dias. A nossa ideia era ajudar a criar novos produtores e disseminadores da cultura. Despertar esse pessoal pra também organizar eventos e festivais, fazer com que as bandas novas vejam que não é só de cover que sobrevive a cena de Londrina e que existe público pro som autoral também”.

A partir do momento que o festival foi tomando uma dimensão maior, os shows passaram a dividir espaço com outras atividades. O objetivo era desenvolver reflexões e conceitos sobre produção, publicidade, comunicação, agenciamento e organização do setor da música independente.

“Organizamos 11 simpósios e tivemos palestrantes do Brasil inteiro. Desde assessor jurídico do Rock in Rio a diretor de marketing da Petrobrás. Também trouxemos workshops de vários assuntos, de produção musical à web radio. Tudo aquilo que tínhamos pensado em fazer, lá em 1996, foi acontecendo com o Demo Sul”.

Como é possível imaginar, a organização de um festival dessa dimensão envolve vários desafios. Mas Marcelo afirma que o maior deles é o fato de estar sempre remando contra a maré para divulgar a cena local e a música autoral.

Em 2014, pela primeira vez desde 2001, o Demo Sul não aconteceu. O festival, vinha contando com a lei de incentivo à cultura desde sua criação. Mas dessa vez, não conseguiu apoio da administração municipal nem de patrocinadores. Na época, a organização cogitou levar o evento para outras cidades e estados. Mas para o alívio da cena independente do interior do Paraná, o Demo Sul voltou em 2015. Agora, em 2016, realiza sua edição em comemoração aos 15 anos de história.

Demo Sul 2016 

Em seu retorno, o Demo Sul volta às origens e abre espaço para fortalecer a música autoral local. Serão 16 bandas paranaenses que irão dividir o palco com atrações de peso nacional – como o recifense Di Melo – e internacional – como o duo britânico Heymoonshaker.

Na programação completa do evento – que acontece entre os dias 4 e 12 de novembro – vão rolar mais de 30 shows distribuídos por vários palcos na cidade, além de simpósios, workshops e oficinas. E vale ressaltar que cerca de 80% das atrações serão gratuitas! A programação completa dos shows e atividades do festival já foram divulgadas no site oficial do evento, confere lá!

COMENTÁRIOS

LEIA TAMBÉM

POCKET

Cambaia divulga “Como ganhar o primeiro milhão”, terceiro EP da banda

Show de lançamento acontece amanhã (21), na Coletiva Mostra Cultural em Maringá.
POCKET

Sesi Música apresenta: Trio Serra Acima convida Yassir Chediak e Renato Teixeira em Maringá

O projeto Sesi Música recebe show clássico de grandes nomes da música de raiz
POCKET

Jornada de Agroecologia em Curitiba terá shows de Odair José, Tulipa Ruiz e Lirinha

O evento acontece de 29 de agosto a 1º de setembro, na Praça Santos Andrade, com 25 atrações artísticas abertas ao público.
POCKET

Programa para o mercado musical será lançado em Maringá

Sebrae/PR apresentará trilha de aceleração durante o Meetup Music Business, evento realizado pela entidade e Oneal