Tem documentário histórico sendo rodado em Maringá.  No dia 24 de abril começaram as filmagens do média metragem “A descoberta do Eldorado: formação e consolidação política de Maringá (1947 a 1988)”, projeto com pesquisa e direção geral de Miguel Fernando e produção do Maringá Histórica. A direção de fotografia está à cargo de Robson Jardim, da Jardim Filmes, enquanto que a edição e produção é assinada pela Cosmos Filmes.

A proposta é abordar um conteúdo ainda inédito no campo cinematográfico local: a história política, mais especificamente a disputa pelo poder, traçando os perfis de cada um dos candidatos que disputaram e venceram o cargo de prefeito no recorte temporal estabelecido (1947 a 1988), fazendo uma análise desde a fase distrital de Maringá.

Sobre a produção

Por conta da pandemia e a fim de garantir a segurança dos envolvidos na produção, todas as medidas estabelecidas pelos protocolos de saúde foram cumpridas.

A estrutura narrativa será composta por depoimentos de cerca de 30 pessoas, entre funcionários públicos aposentados, personalidades públicas, familiares dos prefeitos, historiadores e pesquisadores. O primeiro a ser ouvido foi o jornalista e pesquisador Dirceu Herrero Gomes, um dos autores do livro “A saga do caboclo violeiro” (ao lado de Airton Donizete de Oliveira), que fala sobre o ex-prefeito Américo Dias Ferraz. José Gonçalves Brito, o Britinho, considerado o primeiro guitarrista da cidade, foi o segundo entrevistado. Ele participou de vários comícios e eventos sociais, além de ter concorrido ao cargo de vereador nas eleições de 1976.

Miguel Fernando durante uma das gravações do filme.

“Esperamos trazer um olhar artístico, sob o ponto de vista do segmento audiovisual, para fatos muito peculiares da formação e consolidação da história política local, bem como se aprofundar nos diferentes grupos que se tornaram grandes adversários ao longo das décadas. Todos esses eventos ajudaram a forjar a cidade que conhecemos hoje”, destacou o diretor e pesquisador do documentário, Miguel Fernando.

Os produtores destacam que as pessoas que possuírem documentos de campanhas eleitorais, como santinhos, faixas, cartazes etc., podem contribuir para o documentário. Basta entrar em contato com a equipe pelo e-mail maringahistorica@gmail.com.

O documentário vai utilizar amplo acervo imagético sobre a história local, em sua maior parte conteúdo inédito do Maringá Histórica, inclusive com vídeos registrados em rolos 16mm, que mostram eventos e fatos do final dos anos 1970 e início da década seguinte. A previsão é de que o lançamento ocorra em novembro deste ano.

Sobre o Maringá Histórica

Miguel Fernando, idealizador do projeto Maringá Histórica

O Maringá Histórica é um projeto idealizado por Miguel Fernando com o objetivo de resgatar e divulgar a história de Maringá. A plataforma reúne acervo histórico, projetos editoriais, recortes de jornais e fotografias disponibilizados por famílias e instituições. A iniciativa ainda conta com canal no Youtube e Podcasts, ambos com alcance crescente nas redes sociais. Acesse o site: https://www.maringahistorica.com.br/


Lei Federal de Incentivo à Cultura
Fomento à Cultura: Instituto Cultural Ingá
Patrocínio: Arilu, Crivialli, FA Maringá, Fertipar, Fortgreen, Lowçucar, Mc Donalds, Rivesa, Unicesumar e Unimed.
Realização: Maringá Histórica, Secretaria Especial da Cultura, Ministério da Cidadania, Pátria Amada Brasil – Governo Federal.

COMENTÁRIOS

LEIA TAMBÉM

POCKET

Projeto capacita jovens para atuar no mercado audiovisual

O projeto vai oferecer aulas gratuitas a pessoas de 15 a 18 anos
POCKET

Documentário do Maringá Histórica mostra identidade visual

A arte traz colagem de fotografias de prefeitos de Maringá entre 1952 a 1988
POCKET

Maringá Histórica produz documentário sobre a história política de Maringá

A produção audiovisual vai retratar a disputa de poder na cidade ao longo das décadas.
POCKET

“Vou de Bike” e dicas de filme no Dia Nacional do Documentário Brasileiro

Em tempos em que o cinema nacional está em risco, segue sendo desacreditado pela população e achatado pelo poder público, achamos ...