Atualmente, no Brasil, o que a maior parte das bandas de rock tem em comum é a forma de trabalho independente. Sempre fazendo o próprio corre para divulgar, gravar, lançar álbuns e fazer shows. Em Maringá, uma das bandas que mais representam esse espírito é o Stolen Byrds.

Além de fazerem toda a correria necessária para conquistar espaço e os ouvidos do público – tudo sempre no modo do it yourself –, os caras foram além. Sentindo falta de espaço e movimento na cena stoner rock da cidade, eles criaram, em 2016, o festival Stolen Fuzz. “A ideia surgiu nas redes sociais, com bandas e produtores culturais voltados à cena do stoner rock. [o nome] Foi uma maneira de identificar os festivais e eventos voltados a esse estilo no Brasil. Gênero que tem como uma das suas características sonoras o uso do efeito fuzz (distorção/zumbido/ruído).”, explica Edwards Neto, vocalista da banda.

“É uma forma de misturar os universos pensantes, alcançar uma difusão maior do conteúdo artístico. Entrelaçar as pessoas que estão em busca do mesmo, desenvolvendo ainda mais o pensamento coletivo”.

Neto afirma que, no universo artístico, não existem tantos meios para dar continuidade a um trabalho sem se envolver em todo o processo. “Hoje em dia o artista não pode simplesmente sentar e fazer sua música, esperando que o empresário apareça. A gente tem que saber como funciona o mundo, as relações, o mercado, a cultura de cada local. E, principalmente, através da internet, nos unirmos com quem divide interesses em comum. Alimentando todo um campo artístico (bares, estúdios, selos, bandas, produtores, público, etc.), respeitando todos os nichos e direções culturais”.

E os caras realmente colocam a filosofia na prática. Em 2016, lançaram um EP que leva o nome da banda e já planejam mais um lançamento para 2017, além de clipe, live session e muita correria.

Stolen Fuzztival

Nas duas primeiras edições do festival, já rolaram shows do Bullet Bane (SP), Muñoz (MG), Red Boots (RN) e dos maringaneses da Mothership. No 3º Stolen Fuzz, a cidade terá a oportunidade de curtir duas bandas vizinhas: Loladéli e Red Mess, de Londrina (PR). Além, é claro, dos responsáveis pelo rolê, os Stolen Byrds.

O 3º Stolen Fuzz acontece hoje (09/11) para fechar o ano. E Neto já adianta que, no ano que vem, o festival já tem data. “Temos que trabalhar bastante ainda, mas a próxima edição acontece no final de fevereiro, começo de março e virá com muito peso, quissá uma galera catarinense e gaúcha pintando aí!”, revela.

O Stolen Fuzztival III rola hoje, 9 de dezembro, a partir das 23h, no Tribo’s Bar em Maringá.

COMENTÁRIOS

LEIA TAMBÉM

POCKET

Rubia Divino lança “Transborda”, seu primeiro disco de estúdio

O primeiro álbum completo de estúdio da artista nasceu a partir de um processo de investigação de sua própria ancestralidade e ...
POCKET capa-aries-rubia-divino

Rubia Divino lança ÁRIES, primeiro single do álbum ‘Transborda’

Com clipe gravado em Maringá, a música abre os caminhos para o novo álbum de estúdio da artista, que sai em outubro. Assista agora!
POCKET

Valter e Cambojam lança feat com Rubia Divino

Valter e Cambojam lança o single 'Domingo tem outra cor', um bem sucedido feat com a cantora Rubia Divino
POCKET

Lançamento: D.X divulga videoclipe do novo single “Palavras soltas”

Após o EP "Ritmo e Poesia" em 2019, músico retorna com o videoclipe "Palavras Soltas".