Jango Fonseca

Em 2019, a Cia.Stavis-Damaceno completa 15 anos de existência e atividades ininterruptas de investigação da cena teatral, produção e difusão, além de trabalhar com processos pedagógicos em teatro.

Fundada em 2003 pelo diretor e dramaturgo Marcos Damaceno e pela atriz Rosana Stavis (frequentemente apontada pelos críticos como uma das maiores atrizes do país), a companhia acumula em seu repertório espetáculos com alta relevância no cenário teatral brasileiro.

Neste ano, Marcos Damaceno recebeu o Prêmio Shell pela dramaturgia de Homem Ao Vento, trabalho mais recente da companhia. Neste ano ainda, realizou com grande êxito a Mostra Stavis-Damaceno no Festival de Teatro de Curitiba, como parte das comemorações.

A fim de continuar a celebração de 15 anos, a companhia desembarca, pela primeira vez, em 15 cidades do interior do Paraná realizando 45 apresentações gratuitas dos trabalhos: Árvores Abatidas ou Para Luis Melo (indicada aos Prêmios Shell, APCA e Aplauso Brasil), Artista de Fuga e Psicose 4h48. Além das apresentações, acontecem gratuitamente oficinas de teatro e de formação de plateia, debates e apresentações didáticas.

Divulgação

As peças selecionadas para a circulação acumulam um histórico de, somadas, mais de 450 apresentações pelo Brasil. Nesta circulação, as três peças passarão por: Campo Mourão, Paranavaí, Arapongas, Apucarana, Toledo, Umuarama, Paranaguá, Castro, Irati, União da Vitória, Pato Branco, Francisco Beltrão, Pinhais, Campo Largo e Araucária.

A primeira peça a circular por 7 cidades é Psicose 4h48, último texto da inglesa Sarah Kane que discorre sobre depressão psicótica e sobre o que acontece à mente de uma pessoa quando desaparecem por completo as barreiras que distinguem a realidade das diversas formas de imaginação.  A montagem estreou em 2004 em Curitiba, rendeu a Rosana Stavis o Troféu Gralha Azul de melhor atriz do ano e, desde sua estreia, atingiu mais de 25.000 espectadores.

SOBRE PSICOSE 4H48

Representante da dramaturgia inglesa contemporânea, Sarah Kane tornou-se conhecida pelo modo como a sua carreira começou, com a extraordinária polêmica que provocou sua peça de estréia, Blasted, e pelo modo como terminou: com seu suicídio e a encenação póstuma de sua quinta e última peça, Psicose 4h48.

Durante toda a sua curta vida, Kane foi atormentada por acessos depressivos. A cada nova ocorrência esses acessos foram gradativamente levando-a a um processo de suicídio que teve fim em 1999, aos 28 anos de idade. A experiência desses episódios e os tratamentos médicos a que teve que se submeter formaram a matéria-prima para a construção deste seu último texto.

Discorrendo sobre a doença e suas diversas consequências – em caso extremo, o suicídio – a peça apresenta um texto fragmentado, não linear, permeando entre o dramático, o lírico e o narrativo. “A peça se passa mais na mente da protagonista do que no consultório psiquiátrico que remete a cenografia. E isso influi nessa linguagem de devaneios que buscamos dar à encenação”.

Psicose 4h48 é um texto que pretende dar forma a algo que não tem forma, que são nossos pensamentos. Tivemos que estruturar a montagem somente na musicalidade e no ritmo das palavras, devido a não existência de trama, enredo, história e outros elementos característicos de uma dramaturgia convencional” – conta Damaceno.

O trabalho foi desenvolvido priorizando o tratamento do texto nas vozes dos atores como forma de não espetacularizar o tema, focando a atenção no texto da Sarah Kane e na atuação da Rosana Stavis, ganhadora do Troféu Gralha Azul por esta atuação e freqüentemente apontada pela crítica especializada e profissionais diversos como uma das melhores atrizes do teatro brasileiro na atualidade.

SERVIÇO:

CAMPO MOURÃO
Teatro Municipal de Campo Mourão
(Av. Comendador Norberto Marcondes, 684)
8 de maio às 20h e 9 de maio às 16h e 20h – ENTRADA FRANCA

PARANAVAI
Casa da Cultura Carlos Drummond de Andrade
(Rua Prof. Emílio MiljutinCogej, 116)
10 de maio às 20h e 11 de maio às 16h e 20h- ENTRADA FRANCA

ARAPONGAS
Cine Teatro Mauá
(Rua Uirapuru, 55 – Centro)
29 de maio às 20h e 30 de maio às 16h e 20h- ENTRADA FRANCA

APUCARANA
Cine Teatro Fênix
(Avenida Curitiba, 1215)
31 de maio às 20h e 01 de junho às 16 e 20h- ENTRADA FRANCA

UMUARAMA
Centro Cultural Vera Schubert
(Avenida Rio Branco, 3633)
05 de junho às 20h e 06 de junho às 16 e às 20h- ENTRADA FRANCA

TOLEDO
Auditório da UNIPAR
(Avenida Parigot de Souza, 3636 – Jardim Prada)
sexta-feira 7 de junho as 16h e 20h – ENTRADA FRANCA
sábado 8 de junho as 20h – ENTRADA FRANCA

PARANAGUÁ
Casa Cecy
(Rua XV de Novembro, 499 – Centro)
11, 12 e 13 de junho às 20h- ENTRADA FRANCA

*Este projeto é aprovado no Programa Estadual de fomento e Incentivo à Cultura/ PROFiCE da Secretaria de Estado da Cultura/ Governo do Estado do Paraná com apoio da COPEL.

COMENTÁRIOS

LEIA TAMBÉM

POCKET

Criança em Cena disponibiliza aulas online

Novos participantes terão acesso às aulas nesta etapa do projeto.
POCKET

‘Criança em Cena’ abre inscrições

Projeto cultural com oficinas gratuitas de teatro para crianças e jovens de Maringá, Iguatemi e Sarandi está com inscrições abertas
POCKET

“Bafo de Gralha”: 15º espetáculo da CiaSenhas terá apresentação gratuita em Curitiba

Espetáculo estreia dia 29 de janeiro na Alfaiataria
POCKET

Espetáculo ATERRA tem última apresentação em Maringá

Solo da Companhia da Terra, de Jacarezinho, encerra temporada na sexta-feira (6) em apresentação gratuita pelo Convite ao Teatro